PUBLICAR NO PORTAL | ANUNCIE
 
Biblioteca
Abastecimento de Água
Bioenergia
Caldeira
Cursos & Eventos
Desmineralização
Hidrografia / Hidrologia
LEED / Green Building
Legislação
Meio Ambiente
Membranas Filtrantes
Metodologias de Análises
Projeto e Consultoria
Resíduos Sólidos
Reúso de Água
Saneamento
Tratamento de Água
Tratamento de Chorume
Tratamento de Efluentes
Tratamento de Esgoto
Zeólitas
  MAPA DO SITE | Home / Biblioteca / MANUAL DAS ÁGUAS SAN...

24/11/2008 00:28:45
MANUAL DAS ÁGUAS SANITÁRIAS
Compartilhar

 


As águas sanitárias são produtos comerciais de grande aceitação no mercado consumidor em geral, seja em residências ou empresas, por sua eficácia, praticidade , baixo preço e facilidade de uso. As águas sanitárias atendem a uma ampla faixa de usos, visando aos seguintes efeitos: ação bactericida (combate a microorganismos), alvejante (branqueamento) e desodorizante (eliminação de cheiros). Este manual de uso fornece informações que orientam a utilização e os cuidados necessários no manuseio das águas sanitárias Super Candida e Q'Boa, as duas “estrelas” da limpeza total produzidas pela Anhembi.


 


O cloro é uma das substâncias mais reativas que existe na natureza. Por esse motivo, o cloro é usado, no mundo inteiro, nas ações de desinfecção e oxidação (oxigênio nascente) nas ações de branqueamento. Entretanto, devido a sua extrema reatividade, o uso e o manuseio do gás cloro exigem cuidados rigorosos e operadores qualificados. Para isso, foi desenvolvida uma solução (produto líquido) rica em cloro, que tem ação semelhante ao cloro, e permite manuseio mais simples e seguro, por ser um produto líquido: trata-se do hipoclorito de sódio, de intenso uso industrial.
Para utilização doméstica (não industrial), o hipoclorito de sódio é ainda muito concentrado e reativo. Surgiu então a idéia de se comercializar uma solução mais diluída do hipoclorito de sódio. Esse produto é a água sanitária, presente na imensa maioria dos lares deste país, além de ser utilizada em indústrias, no comércio etc. A expressão água sanitária refere-se, portanto, a um produto químico, líquido, resultante da diluição em água do produto industrial hipoclorito de sódio. A principal característica da água sanitária é ser, apesar da diluição, um poderoso bactericida (devido à presença do cloro), propiciando:
* Ação alvejante (branqueadora): em função do oxigênio nascente, a água sanitária tende a branquear peças que tenham contato com ela. No seu uso doméstico mais comum, a água sanitária é aplicada para branquear roupas durante a lavagem.
* Ação bactericida: quando adicionada a um meio, a água sanitária tem a capacidade (pela ação do cloro) de eliminar com enorme eficiência os microorganismos alí presentes. No uso doméstico, a água sanitária é aplicada na higiene de banheiros e utensílios da cozinha. Em cozinhas e locais onde se processam alimentos, a água sanitária é usada para evitar mau cheiro (decomposição de materiais), e impedir, de forma geral, a proliferação de microorganismos. Usa-se também a água sanitária na limpeza de alimentos (frutas e vegetais) que sejam ingeridos crus. Nestes casos, depois da limpeza com água sanitária, o alimento não precisa ser lavado em água corrente, pois esta pode conter microorganismos quando não tratada. Um importante uso da água sanitária é na desinfecção da água de poços ou de rios, tornando-a muito mais segura de ser ingerida.
* Ação desodorizante: utilizadas em ambientes onde exista decomposição de matéria orgânica, as águas sanitárias eliminam totalmente seu odor.


 


A água sanitária contém cloro e oxigênio, substâncias responsáveis pelas ações de oxidação e desinfecção, que na prática consistem em:
* Branqueamento
* Desinfeção
* Desodorização

É importante ressaltar que, com o tempo, o cloro da água sanitária se evapora (no caso de recipiente aberto) ou se combina com outros produtos presentes na própria água sanitária com isso, o cloro perde parte da sua ação bactericida, que é exatamente o efeito que interessa ao usuário.
As águas sanitárias Super Candida e Q'Boa trazem avisos, em sua embalagem, de que a validade do produto (tempo máximo de uso) é de 6 (seis) meses após sua fabricação, desde que a embalagem seja mantida sempre fechada. Após a embalagem aberta, a água sanitária deve ser utilizada nos próximos trinta dias. A expressão técnica cloro ativo, usual até entre os consumidores, refere-se à parte do cloro da água sanitária que pode ser utilizada. Por vezes, usam-se outras expressões como cloro livre, cloro disponível etc.
Deixar o recipiente aberto ou estocar e deixar “envelhecer” a água sanitária significa pôr a perder a sua eficiência, pois ocorre naturalmente uma redução do teor de cloro ativo na água sanitária. No início, a perda desse cloro ativo se dá com maior rapidez. Com a diminuição do teor de cloro ativo na água sanitária, isso ocorre mais lentamente.
Além do fator tempo, também contribuem para a perda do cloro ativo da água sanitária:
* Aumento da temperatura ambiente
* Deixar a embalagem aberta
* Armazenar a água sanitária em outra embalagem diferente da original.
Sobre o teor de cloro
Todas as embalagens das águas sanitárias informam o teor de cloro ativo do produto. Em Super Candida e Q'Boa, este teor varia de 2 % a 2,5 %. Esta é a concentração de cloro com que realmente se pode contar como agente bactericida disponível. Como as águas sanitárias Super Candida e Q'Boa são comercializadas em embalagens de 1 litro (1.000 cm³) ou de 2 litros (2.000 cm³), a quantidade de cloro ativo em cada embalagem é de 20 g a 25 g (embalagem de 1 litro) ou de 40 g a 50 g (embalagem de 2 litros).
Notas
1 - Sendo a água sanitária muito fácil de ser dissolvida em água, pode acontecer uma completa diluição do produto: isso ocorre com marcas de baixa qualidade, produzidas por fabricantes de terceira linha. De fato, encontram-se no mercado águas sanitárias com baixíssimo teor de cloro ativo, o que significa baixa eficiência.
2 - Assim como a água sanitária tem concentração de cloro ativo na faixa de 2 a 2,5 %, o hipoclorito de sódio (produto concentrado original da água sanitária) tem uma concentração média de 12 a 15% de cloro ativo.
 


 


Sendo um produto extremamente popular, por sua ampla utilização e baixo custo, a água sanitária ganhou várias denominações e modalidades de uso, variações influenciadas por pequenas modificações de sua fórmula e até por hábitos e tradições culturais. Vejamos alguns termos que nomeiam o mesmo produto água sanitária:
Água sanitária — É a designação padrão do hipoclorito de sódio diluído em água, e utilizado conforme descrito neste manual de orientação.
Água de lavadeira — Outra designação muito comum da água sanitária, considerando seu uso como branqueador na lavagem de roupas.
Hipo — abreviatura de hipoclorito de sódio.
Cloro líquido — Expressão utilizada no meio de manutenção e tratamento de piscinas, em referência ao hipoclorito de sódio.
Água de Javel — Uma denominação antiga da água sanitária. Expressão proveniente do bairro de Paris onde o químico Berthollet desenvolveu seus estudos do hipoclorito de sódio.
Líquido de Dakin — Solução extremamente diluída do hipoclorito de sódio, com adição de outras substâncias, e muito usada em procedimentos odontológicos e em outras áreas da saúde.
Super Candida e Candida — Marcas comerciais muito populares da Indústrias Anhembi para suas águas sanitárias.Sinônimo de água sanitária em São Paulo, capital e interior. A marca comercial atual é Super Candida.
Q´Boa — Marca comercial muito popular da Indústrias Anhembi para sua água sanitária. Sinônimo de água sanitária no restante do Brasil.
 


 


Cuidados simples no manuseio da água sanitária tornam seu uso extremamente seguro. Prova disso está na sua ampla utilização pelo público consumidor.
É importante observar alguns cuidados no manuseio do produto:
* Manter o produto dentro da embalagem original, que deve ser mantida sempre fechada, para evitar a evaporação de cloro
* Manter a embalagem fechada e em local ventilado e protegida do sol
* Manter a embalagem fora do alcance de crianças e do acesso de animais domésticos
* Não usar a água sanitária misturada com outros produtos
* Não aplicar água sanitária sobre ambientes recentemente limpos com amoníaco (menos de uma hora antes)
* Não aplicar água sanitária em ambientes em que existam poças ou acúmulo de ácidos, pois pode ocorrer exalação de gás cloro. Do mesmo modo, não se deve misturar água sanitária com ácidos
* Em ambientes muito fechados e, portanto, com pouca ventilação, depois da limpeza com água sanitária é preciso evitar o acesso ao ambiente (de humanos ou animais) por pelo menos uma hora
* No caso de se jogar água sanitária no vaso sanitário, aguardar por pelo menos 30 minutos antes de acionar a descarga.

 


 


Com os cuidados indicados no item anterior, dificilmente ocorrerão acidentes. No caso de derrames e contatos indevidos, é preciso evitar:
* Contato da água sanitária com os olhos
* Ingestão da água sanitária

Sendo um produto mineral, a água sanitária tem reações muito rápidas. Por isso, em caso de acidente, os cuidados recomendados acima devem ser tomados de imediato. No caso da água sanitária entrar em contato com os olhos deve-se lavar os olhos com água abundante, pelo menos durante trinta minutos e, depois disso, procurar auxílio médico.
No caso de ingestão (engulimento) a pessoa não deve beber nada nem deve tentar forçar o vômito. É preciso procurar assistência médica de imediato. A ingestão de água sanitária é algo extremamente raro, por ser produto de odor extremamente forte e desagradável para qualquer ser vivo.
 


 


As várias expressões de concentração de cloro nas águas sanitárias e nos seus usos
Apresentamos aqui as denominações mais comuns para expressar a concentração de cloro, além de outros termos relativos ao processo de cloração das águas de abastecimento.
O Cloro Ativo
Nem todo o cloro existente na água sanitária tem ação bactericida, que é a ação que interessa no uso desse produto. Logo, o importante é se saber sempre o teor de cloro denominado cloro ativo. Diz-se, por exemplo, que uma água sanitária (ou um tipo de hipoclorito) tem uma quantidade de cloro (em gramas) em 100ml de água sanitária (solução clorada). Assim, uma água sanitária com cloro ativo de 2,0 a 2,5%, em cada 100ml tem a mesma ação de 2,5g de gás cloro. A determinação do cloro ativo é um procedimento padronizado de laboratório, cuja explicação extrapola os limites desta apresentação. As águas sanitárias Super Candida e Q'Boa são comercialziadas com teores de cloro ativo de 2,0 a 2,5%, ou seja: a embalagem de 1 litro de água sanitária provê de 20 a 25g de cloro.
Cloro disponível - cloro livre
O mesmo que cloro ativo.
Cloro residual livre
Expressão usada em técnicas de desinfecção de águas de abastecimento. Depois de se adicionar água sanitária a uma água que vai ser ingerida, parte do cloro ativo combina-se com eventuais substâncias orgânicas da água e/ou substâncias redutoras. Restará uma pequena quantidade de cloro, que servirá
de reserva, se acontecer dessa água sofrer alguma poluição. A essa ‘reserva’ de cloro ativo, de baixíssima concentração, denomina-se cloro residual livre.
Cloro residual livre disponível
O mesmo que cloro residual livre.
Demanda de cloro
Tomemos como exemplo uma água de fonte que vai receber adição de água sanitária. Parte do cloro ativo adicionado a essa água propicia as ações de oxidação. A quantidade de cloro ativo aplicada nessas reações é denominada de demanda de cloro. Águas com baixíssimos teores de matéria orgânica têm menor demanda de cloro. Águas com maiores teores de matéria orgânica requerem maior demanda de cloro. Após a aplicação da água sanitária, e terminadas as reações de cloração, esgota-se a demanda de cloro da água. O cloro ativo que persistir é denominado cloro disponível.
Nota
A água sanitária é um produto bastante fácil de solubilizar (misturar) com a água, o que pode dar lugar a adulterações e falsificações por parte de produtores desonestos. Somente a compra de uma marca de fabricante reconhecidamente responsável é garantia de que o produto tem efetivamente
a concentração indicada na embalagem. Somente testes de laboratório é que podem determinar com precisão o teor de cloro ativo da água sanitária.
Apresentamos aqui infomações sobre teores médios de cloro livre (cloro ativo, cloro disponível), em várias situações:
* Água sanitária — 2 a 2,5 % ou seja 20 a 25 g/l de cloro
* Água de piscina — 1,0 a 2,0 mg/l. Valores acima de 2,0 mg/l tornam a água irritante aos olhos.
* Água de abastecimento — 0,5 a 0,8 mg/l.

Para que a água de abastecimento tenha, na rede pública, esse teor de cloro ativo, adiciona-se cloro ativo na dosagem de 0,8 a 1,5 mg/l.
Para controle dos teores de cloro ativo, os medidores de cloro usados em piscinas (embora sejam de baixa precisão) são suficientemente acurados para os fins domiciliares em questão.
 


 


É imprescindível fazer a cloração de águas de abastecimento que não foram tratadas (ou de origem incerta), para nosso uso. Por exemplo, quando usamos águas de:
* Poços domiciliares (também denominados poços rasos ou freáticos)
* Fontes
* Águas de lagos, represas e rios
* Águas de poços profundos (chamados de artesianos), quando não se tem a certeza da qualidade dessas águas.

Utiliza-se então a água sanitária como produto bactericida, que elimina a quase totalidade dos microorganismos presentes na água. As águas de abastecimento não tratadas podem trazer microorganismos causadores de doenças denominadas doenças hídricas. A cloração dessas águas é um dos métodos mais eficazes para se fazer a prevenção dessas doenças. Associações técnicas mundiais como a Organização Mundial da Saúde recomendam com ênfase a adição de cloro a todas as águas de abastecimento. A aplicação de água sanitária deve ser feita de modo que, após a reação oxidante, ainda reste um teor de cloro ativo (cloro residual livre) de 0,5 mg/l a 0,8 mg/l. Há países onde a adição de cloro é tão sistemática e universal que as águas de seus sistemas públicos têm um ligeiro odor de cloro. Quanto mais cristalina for a água de beber a ser clorada, melhor. Contudo, é boa norma de cautela mandar analisar periodicamente, em laboratório especializado, a água que bebemos.
 


 


Os vários usos de Super Candida e Q'Boa nas tarefas domésticas. Lembrete importante - Antes de higienizar ambientes com as águas sanitárias Super Candida e Q' Boa, é preciso efetuar uma limpeza geral, removendo detritos e restos materiais. Depois de uma boa lavagem, faz-se uma última lavagem com adição de porções de água sanitária. Só se deve utilizar o local (ou peça) cerca de 15 minutos depois da aplicação. Ambientes com peças metálicas devem ser arejados e secos 15 minutos depois da aplicação de água sanitária, pois o cloro pode atacar partes metálicas.
Lavagem de roupas
Com certeza, o branqueamento de roupas na lavagem é o uso mais tradicional das águas sanitárias. Esse uso é restrito às peças brancas como camisas, cuecas, lençóis e outros. Por ser um poderoso alvejante, a água sanitária pode criar manchas nos tecidos de cores diferentes, se forem misturados durante a lavagem. Para a lavagem com branqueamento adicionar meio copo (100 cm3) de água sanitária em 5 litros de água. Deixar a roupa imersa nessa solução por 15 minutos, antes de enxáguar. Conservação de flores
Para prolongar a vida de flores nos vasos é útil colocar cinco gotas de água sanitária em cada litro de água a ser adicionada ao vaso de flores. A ação bactericida da água sanitária preserva os caules cortados das flores, por eliminar as condições para o crescimento de microorganismos na água.
Contra formigas, moscas, mosquitos e pulgas
Para sobreviver, insetos dependem de umidade, alimentos e ausência de produtos agressivos. Como alguma umidade sempre existe, a perfeita limpeza dos ambientes é a melhor barreira contra insetos. Para concluir a limpeza, basta adicionar um copo de água sanitária (200 cm3) para cada litro de água,
e passar um pano molhado nos locais.
Canalizações de esgotos, cozinhas e banheiros em geral
Quando bem projetados e construídos, banheiros , cozinhas e canalizações de esgoto não terão cheiro. Contribuem para isso os ralos sifonados e selos hídricos, existentes em todos os banheiros, além de uma ventilação adequada. Porém, por falta de manutenção e ventilação, criam-se as condições para a geração de maus odores. Tais falhas devem ser corrigidas e, depois disso, deve-se lavar as paredes, pisos e peças (pias, box, vaso sanitário) do banheiro com água adicionada de um copo de Super Candida ou Q' Boa. Não se recomenda jogar água sanitária na rede de esgoto, pois isso não traz vantagem: além de desperdício do produto, pode prejudicar o tratamento biológico de esgotos que ocorre em fossas sépticas e na estação de tratamento de esgotos.
Despensas e armários de comida
Despensas e armários de comida sempre costumam ter restos mínimos de alimentos que são até imperceptíveis a um olhar menos atento. Nesses casos, deve-se melhorar a limpeza manual ou mecânica, diluir a sujeira por lavagens (caso seja possível e não cause dano ao móvel), e depois lavar com água na qual se adicionou água sanitária na proporção de um copo (200 cm3) para cada litro de água.
Lixo e lixeiras
Sempre há restos de comida nos recipientes de lixo e lixeiras. São locais que devem ser limpos pelo menos uma vez por semana, e, no caso de hospitais, diariamente. Depois da lavagem, lavar com água sanitária na dosagem de um copo de água sanitária para cada litro de água. Se os recipientes e equipamentos forem metálicos, depois de quinze minutos lavar tudo com água para eliminar os restos de cloro que podem atacar os metais. No caso de recipientes e peças de plástico, não há necessidade dessa última lavagem: o cloro da solução evapora-se naturalmente. Todos os locais lavados devem ser amplamente ventilados por quinze minutos.
Banheiros públicos
Banheiros públicos em geral exigem extremo cuidado em sua limpeza, ainda mais em se tratando de hospitais, aeroportos e estações rodoviárias, devido ao elevado número de usuários. Tais instalações devem ser dotadas de dispositivos de coleta de resíduos e facilidades para lavagem com água em abundância. As paredes e os pisos devem ser impermeáveis, para maior eficiência na lavagem. Depois disso, lavar com a água sanitária diluída e deixar secar naturalmente. Não remover a água sanitária usada antes de 15 minutos, que é o tempo padrão para garantir a eliminação de microorganismos.
Peixes
Peixes, principalmente os de origem marítima, deixam forte odor em utensílios e ambientes. Para uma perfeita higiene e desodorização, deve-se lavar os utensílios com água em abundância depois, lavá-los com água adicionada de um copo de água sanitária por litro. Para evitar que utensílios metálicos sejam atacados pelo cloro da água sanitária, deve-se lavá-los novamente, em água corrente, 15 minutos depois da aplicação.
Mofo
O mofo é uma denominação popular para um meio biológico que só se propaga de forma significativa onde existe umidade. A melhor forma de eliminar o mofo é:
* Melhoria da ventilação, eliminação da umidade (se for possível) e a limpeza periódica com água adicionada de água sanitária na proporção de um copo para cada litro de água. Essa aplicação combate a proliferação dos microorganismos causados pela umidade.
Caixa de água
Um dos maiores problemas sanitários é garantir que os reservatórios de água não contaminem as águas de abastecimento. Caixas de água sujas são vetores de doenças. Sua limpeza é indispensável: recomenda-se que as caixas de água devam ser limpas a cada seis meses. Inicia-se a limpeza da caixa de água com lavagem e remoção de detritos. Depois disso, deve-se proceder deste modo:
* Fechar os registros de entrada de água da caixa de água
* Fechar os registros de saída de água para consumo, tendo visto o cuidado de vedar a saída
* Remover as impurezas que, porventura, existam no tubo e bóia de entrada
* Adicionar o volume de 4 litros de água sanitária para cada 500 litros de água
* Deixar agir por 1/2 hora
* Abrir o registro de saída
* Drenar a água, utilizando para lavagem de pisos
* Enxaguar a caixa de água com água potável e tratada
* Abrir o registro de entrada de água de caixa de água
* A caixa de água deve ser mantida sempre tampada.

Para uma lavagem adequada, as caixas de água devem ter facilidade de acesso e de drenagem (esgotamento) de águas servidas.
Informações gerais
1 - Tudo quanto existe dentro de uma casa precisa de limpeza periódica. Para isso, a água sanitária é sempre um poderoso auxiliar. Conforme cada aparelho, deve-se consultar seus fabricantes e manuais de uso para verificar cuidados específicos.
2 - Recomendação importante: pessoas que estão diariamente envolvidas com limpeza de ambientes utilizando água sanitária devem usar luvas e óculos de segurança. Os utensílios de limpeza dessas pessoas devem ser preferencialmente de plástico. Em todos os locais de trabalho deve haver acesso fácil a locais com água corrente.
 


 


Por ser um produto de alta reatividade, a água sanitária é usada em vários procedimentos médicos e odontológicos. Nessas técnicas, faz-se uma diluição adicional da água sanitária, e essa diluição é usada para limpar ferimentos ou lesões, como forma de evitar infecções. Em locais onde seja necessária a estocagem de pequenas quantidades de água, a adição de algumas gotas de água sanitária é um fator de limitação ou mesmo de inibição do surgimento crescimento de microorganismos e insetos indesejáveis. Por exemplo: águas com teor de cloro de mais de 1 mg/l não são favoráveis á proliferação do inseto vetor da dengue.
No manuseio de alimentos que serão ingeridos crus (in natura), como no caso de leite, recomenda-se que tanto as mãos do ordenhador como as tetas dos animais sejam lavados com uma solução deste teor: para cada litro de água, adiciona-se uma colher de sopa de água sanitária.
 


 


Estas informações são dirigidas a pessoas com maior interesse em aspectos técnicos.
Definição
Água sanitária é o produto da diluição em água do hipoclorito de sódio.
Hipoclorito de sódio
Produto mineral resultante de produção industrial. É produzido a partir da reação de gás cloro misturado com solução de hidróxido de sódio (soda cáustica). Sua fórmula é: NaClO. Sua concentração de cloro ativo situa-se na faixa de 15 %.
Cor — O hipoclorito de sódio tem cor amarelada. A água sanitária tem uma cor amarelo-esverdeada bastante fraca.
Ação oxidante — A ação oxidante da água sanitária resulta de parte do oxigênio e a ação bactericida é proveniente do cloro ativo existente no produto . Essa parte é denominada de cloro ativo . O cloro ativo é medido como equivalente à ação do cloro molecular.
Concentração — A concentração da água sanitária varia de 2 a 2,5% de cloro ativo (20 a 25 g/l). O teor de cloro ativo tende a diminuir com o tempo, e essa tendência se acelera se a água sanitária for guardada de forma incorreta.
Peso molecular do cloro — 71,10g
Densidade da água sanitária — de 1,030 a 1,040 g/l
pH — Varia de 10,0 a 11,2.
O hipoclorito de sódio e a água sanitária não são inflamáveis (não sofrem combustão) e não são higroscópicos (não absorvem água do ambiente).
Hipoclorito de sódio - dados técnicos
Dados do fabricante de hipoclorito de sódio referentes à identificação desse produto:
Nome — hipoclorito de sódio
Fórmula química da solução — NaClO + NaCl + H20
Corrosivo — classe 8
Número de risco — 85
Número da ONU — 1.791
Risco à saúde — 3
Inflamabilidade = 0
Corrosividade — 1
(Referência: Carbocloro S.A. Indústrias Químicas)
 


 


Para preparar este manual foram consultados:
* Manual de Hipoclorito de Sódio — publicação da Abiclor - Novembro 1993
* Hipoclorito de Sódio para tratamento de água — norma CETESB M4 - 280 - Dez 85
* Desinfección del agua — Oscar Caceres Lopez ( Peru, 1990), publicação do Ministério da Saúde do Peru (Organização Mundial da Saúde e Organização Panamericana da Saúde)
* Sodium Hypochlorite — publicação do Chlorine Institute (França)
* L'eau de Javel — Nicole Burdin
* Documentos técnicos internos da Anhembi


Fonte: http://www.anhembi.ind.br/aguas-sanitarias.html



 


Compartilhar
Clique aqui e comente


Mais Informações sobre o assunto

O desenvolvimento de mercados verdes
O ano da estupidez: ficção que poderá tornar...
Detecção de vapor d'água em planeta anima bu...
Degelo nos Andes vai deixar 77 milhões sem á...
Aquecimento global derrete geleiras chilenas...
Mais bibliotecas

Situação das Reservas e Utilização das Águas Subterrâneas na Região Metro...
Tendo como cenário a situação de estr...
Quais as diferenças entre reúso de água e aproveitamento de água das chuva...
Os problemas da escassez da água são ...
Como desenvolver competências para uma organização sustentável
A estratégia da empresa recebeu uma a...
Teste de despoluição das águas do Rio Pinheiros
Uma das linhas de ação que Associação...
Desmatamento em alta
O material publicado em jornais, revi...
 
Busca avançada
 
Nota:  até 
 
Impressões:  até 
 
Publicada entre:
 até 
 
Tipo:
 
Categoria:     
 
 
 
 

Comentário:


 

Av. do Café, 130, salas 33 e 34
São Paulo - SP - CEP: 04311-000
Tel.: (11) 3473.1207 / (11) 3562.0436
Acompanhe o portal nas redes sociais.