PUBLICAR NO PORTAL | ANUNCIE
 
Biblioteca
Abastecimento de Água
Bioenergia
Caldeira
Cursos & Eventos
Desmineralização
Hidrografia / Hidrologia
LEED / Green Building
Legislação
Meio Ambiente
Membranas Filtrantes
Metodologias de Análises
Projeto e Consultoria
Resíduos Sólidos
Reúso de Água
Saneamento
Tratamento de Água
Tratamento de Chorume
Tratamento de Efluentes
Tratamento de Esgoto
Zeólitas
  MAPA DO SITE | Home / Biblioteca / Determinação da Turb...

13/11/2008 08:21:01
Determinação da Turbidez
Compartilhar

A determinação da turbidez pelo método nefelométrico, é adotado nas atividades de controle de poluição da água e de verificação do parâmetro físico nas águas consideradas potáveis.


O método é baseado na comparação da intensidade de luz espalhada pela amostra em condições definidas, com a intensidade da luz espalhada por uma suspensão considerada padrão.


Quanto maior a intensidade da luz espalhada maior será turbidez da amostra analisada. O turbidímetro é o aparelho utilizado para a leitura, este aparelho é constituído de um nefelômetro, sendo a turbidez expressa em unidades nefelométricas de turbidez (UNT).


O nefelômetro consta de um fonte de luz, para iluminar a amostra e um detector fotoelétrico com um dispositivo para indicar a intensidade da luz espalhada em ângulo reto ao caminho da luz incidente.


As amostras para analise de turbidez devem ser coletadas em fracos de plástico ou de vidro. Recomenda-se que as análises sejam realizadas num período Maximo de 24 horas, as amostras devem ser guardadas no escuro.


O aparelho deve detectar diferenças de turbidez de 0,02 unidades para águas com turbidez menor que 1 (uma) unidade, a turbidez máxima a ser medida é 40 UNT, sendo necessário realizar diluições se a medida da turbidez for superar ao valor máximo.


Como interferências ressaltamos a presença de detritos e materiais grosseiros em suspensão que se depositam rapidamente, que resultará resultados mais baixos a cor verdadeira interfere negativamente devido à sua propriedade de absorver luz as bolhas pequenas provocarão resultados superestimados.



MATERIAL


Turbidímetro com um nefelômetro
Tubo para amostra, de vidro incolor


REAGENTE


2.1) Água insenta de turbidez


Passar a água destilada através de um filtro de membrana de porosidade de 0,45 microns.


2.2) Suspensão estoque de turbidez


Solução (1) – dissolver 1,00 g de sulfato de hidrazina, em água destilada e diluir a 100 mL em balão volumétrico.
Solução (2) – dissolver 10,00 g de hexametilenotretamina em água destila e diluir a 100mL, em balão volumétrico.


Em balão volumétrico de 100 mL, misturar 5,0 mL da solução 1 e 5,0 mL da solução 2. Deixar a 25º C, durante 24 horas e completar com água destilada, homogeneizar. A turbidez desta solução é definida como sendo 40 UNT.


2.3) Soluções padrões diluídas de turbidez


Com a suspensão padrão de turbidez de 40 UNT, utilizando água destilada como diluente, realizar as diluições desejadas.


PROCEDIMENTO
- Calibrar o aparelho de acordo com as instruções do fabricante e medir os padrões no turbidímetro, cobrindo todas as faixas de interesses e preparar curvas de calibração dentro do interesse das amostras.
- Turbidez menor que 40 unidades
- Agitar a amostra a fim de dispersar os sólidos. Após o desaparecimento das bolhas de ar, colocar a amostra no turbidímetro.
- Turbidez maior que 40 unidades
- Diluir a amostra com um ou mais volumes de água isenta de turbidez, de modo que, as leituras estejam dentro da faixa desejada.


CÁLCULO


TURBIDEZ (UNT) = A x F
A= leitura da amostra
F= fator da diluição


PROCEDIMENTOS BÁSICOS


Operação do turbidímetro


A- Procedimento de operação


1- Verificar a voltagem indicada na placa de características localizada junto ao cabo de força ( 120 V ) e ligar somente nesta voltagem. Podendo fazer a leitura utilizando a bateria .
2- Selecionar a faixa de 20 NTU através da chave seletora de faixas.
3- Introduzir o tubo do padrão de 10 NTU na câmara e fecha-la com a tampa, limpado o tubo com papel absorvente macio antes. A marca contida no tubo de ficar sempre voltada para frente.
4- Calibrar o aparelho, girando o botão calibração (STANDARDIZE).
5- Desligar o aparelho, utilizando somente a chave seletora de faixas (OFF).
6- Rinsar o tubo com a amostra a ser analisada, evitando a formação de bolhas. Completar o tubo com a amostra até quase o gargalo. Fechar com a tampa pareada e marcada e limpar o tubo com papel absorvenet macio.
7- Inserir o tubo na câmara e fecha-la. Selecionar a faixa apropriada através da chave seletora de faixa.
8- Assim que a leitura estabilizar, anotar o valor em NTU.


B- Observações:


1- O LED verde no painel significa que um tubo está colocado na câmara e o aparelho está funcionando.


2- Se a turbidez da amostra for superior a 200 NTU, a amostra deverá ser diluída com água isenta de turbidez e testada novamente. Multiplique o valor obtido pelo fator de diluição empregado.


3- Preparo de água isenta de turbidez:
3.1- Abrir o fecho de rosca do porta filtros e colocar uma membrana filtrante branca sobre a tela no interior do porta filtros. Recolocar a parte superior do porta filtros.
3.2- Remover o êmbulo da seringa, roda-lo de modo a prende-lo na seringa.
3.3- Encher a seringa com água deionizada ou destilada, recolocar o êmbulo e pressiona-lo levemente. Recolher a água em um frasco de vidro completamente limpo.
3.4- Repetir os passos 3.2 e 3.3 até a obtenção de uma quantidade satisfatória.


Examinar periodicamente a membrana para verificar a necessidade de substituí-la.


Águas preparadas por este procedimento podem ser armazenadas em um frasco limpo, com tampa, em ambiente escuro e à temperatura ambiente. Deve-se tomar o cuidado de verificar a presença de partículas ou materiais estranhos antes de utiliza-la.


Acervo: Enasa Engenharia (http://www.enasaeng.com.br)


Compartilhar
Clique aqui e comente


Mais Informações sobre o assunto

Governo divulga metodologias de uso sustentá...
CONFIRMADO - CURSO ANÁLISE DE LABORATÓRIO
ÚLTIMAS VAGAS !! CURSO Análise de Laboratóri...
Pai do Plano Real contradiz previsões catast...
AQUAMEC - Alta tecnologia no processo de fab...
Mais bibliotecas

Industrial flow measurement: Basics and practice
In the recent decades, the market for...
Resíduos de Usinas de Recuperação de Energia
Aprovar o Regulamento estabelecendo o...
Aplicações da Biotecnologia em Processos Ambientais da Fabricação de Celul...
Coletânea de conhecimentos variados s...
SIGMA fornece sistema com capacidade de produzir 2,1 milhões de litros de ...
Desde fevereiro deste ano, a SABESP v...
Destinação Final de Lodos de ETAs e ETEs
Os lodos de ETAs têm sido dispostos e...
 
Busca avançada
 
Nota:  até 
 
Impressões:  até 
 
Publicada entre:
 até 
 
Tipo:
 
Categoria:     
 
 
 
 

Comentário:


 

Av. do Café, 130, salas 33 e 34
São Paulo - SP - CEP: 04311-000
Tel.: (11) 3473.1207 / (11) 3562.0436
Acompanhe o portal nas redes sociais.