PUBLICAR NO PORTAL | ANUNCIE
 
Biblioteca
Abastecimento de Água
Bioenergia
Caldeira
Cursos & Eventos
Desmineralização
Hidrografia / Hidrologia
LEED / Green Building
Legislação
Meio Ambiente
Membranas Filtrantes
Metodologias de Análises
Projeto e Consultoria
Resíduos Sólidos
Reúso de Água
Saneamento
Tratamento de Água
Tratamento de Chorume
Tratamento de Efluentes
Tratamento de Esgoto
Zeólitas
  MAPA DO SITE | Home / Notícias / Esgotos poluem manan...

11/12/2013 14:07:37
Esgotos poluem mananciais em sedes urbanas do Cariri

Publicado por http://www.agsolve.com.br/
Compartilhar
Publicidade  
 O desenvolvimento econômico da região não está sendo acompanhado por infraestrutura básica

Juazeiro do Norte. O Cariri está preocupado com os impactos da falta de esgotamento sanitário na saúde da população. Os municípios conhecidos pelas oportunidades de negócio, turismo e biodiversidade, apesar de todo desenvolvimento econômico, possuem esgotamento sanitário inadequado, de acordo com estudos realizados pela Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh). Análise de amostras de mananciais da região revelam poluição por esgoto nas sedes urbanas, especialmente no triângulo Crajubar (Crato, Juazeiro e Barbalha).

Resultados das avaliações da qualidade da água foram apresentados durante debate no auditório do Ifce, em Juazeiro fotos: Sanylla Alves

Para avaliar a questão, foi realizado um debate ontem, neste município, promovido pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), em parceria com o Ministério Público do Estado do Ceará (MP), a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce) e o Instituto Trata Brasil.

O evento aconteceu no auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (Ifce). Na ocasião, Edson Carlos, presidente do Instituto Trata Brasil, falou sobre esses impactos, mostrando que, de 104 milhões de brasileiros, 52% não tem coleta de esgoto e a situação no Cariri não é diferente.

A Região Metropolitana do Cariri (RMC), formada por 9 municípios: Barbalha, Crato, Juazeiro do Norte, Caririaçu, Farias Brito, Jardim, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri, possui 564.478 habitantes, de acordo com o último Censo realizado em 2010, e representa, aproximadamente, 5% do PIB (Produto Interno Bruto) cearense.

As águas subterrâneas do Cariri são importantes fonte de abastecimento, tanto para as populações urbanas e rural, quanto para projetos de irrigação. Nas cidades Crato, Barbalha e Juazeiro do Norte, que formam o triângulo Crajubar, o abastecimento público provém de água subterrânea, por meio de poços profundos ou fontes, cerca de 90%, e cuja prestação de serviços é realizada principalmente, pela Cagece e o Sistema Autônomo de Águas e Esgoto do Crato (Saec).

Alguns poços da Bacia Sedimentar do Cariri localizam-se dentro de aglomerados populacionais e sofrem interferências em sua qualidade, devido ao lançamento de esgoto "in natura" do solo e em mananciais superficiais da região. Análises de controle de qualidade da água da Cagece e relatórios de fiscalização da Arce demonstram redução da qualidade da água destes mananciais, em função da frequente presença de nitrato nas amostras, o que indica a presença de poluentes na água.

Esgotos a céu aberto são vistos em municípios como Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha como principal fonte poluidora dos recursos hídricos

último Censo revelou que a presença de esgotos a céu aberto nas zonas urbanas, principalmente no triângulo Crajubar, está causando problemas de contaminação e interferindo na qualidade da água subterrânea. Conforme o levantamento, cerca de 302.423 habitantes da RMC convivem com esgoto a céu aberto. Nos municípios de Caririaçu, Juazeiro do Norte, Missão Velha e Barbalha, os índices são superiores a 70%. Segundo a Cagece, isso ocorre porque parte da população que possui rede de esgoto disponível não está interligada aos serviços de esgotamento sanitário nas cidades.

Juazeiro do Norte poderia ter cerca de 37 mil ligações ativas de esgoto, porém somente 55,95% dos domicílios estão conectados ao sistema. Em Barbalha, a situação é mais preocupante, pois apenas 25,78% dos imóveis com rede de coleta de esgoto disponível estão efetivamente ligados.

Estudo socioeconômico revela que a maior parte da população (84,6%) exposta a esgoto a céu aberto na RMC possui rendimento mensal de até um salário mínimo, o que reforça a necessidade de programas especiais para incentivo, à interligação a rede coletora de esgotos, tal como tarifa social.

Saúde

A saúde da população está diretamente relacionada com as condições de saneamento básico, principalmente no que diz respeito ao acesso dos serviços de abastecimento de água e de esgotamento sanitário.

De acordo com pesquisas realizadas pelo IBGE e Datasus, que registra os indicadores básicos da saúde no Brasil. Crato, Barbalha e Jardim apresentam as piores taxas de internação por diarreia, em média 47,6% foram de crianças menores de 5 anos de idade.

Jardim possui a pior taxa de internação por diarreia e representa 22,4% do total das internações da Região Metropolitana do Cariri. Os dados deixam as autoridades em alerta.

Fonte: Diário do Nordeste

 


Compartilhar
Clique aqui e comente


Mais Informações sobre o assunto

Mais notícias

Nova Opersan soluções ambientais
A Nova Opersan foi criada em junho d...
6 Soluções que Otimizam o Consumo da Água
Crise hídrica, o assunto da vez. O ce...
Novo Ranking do Saneamento Básico 2014 - Instrituto Trata Brasil - o avanç...
O TrataBrasil lança hoje (27/08) o no...
1° Seminário Temático de Engenharia Ambiental - Tratamento de Efluentes
Espaço Cultural da URCA - Poços de Ca...
Indaiatuba espera aval para usar água do Rio Jundiaí e evitar racionamento
Indaiatuba (SP) espera aval do govern...
 
Busca avançada
 
Nota:  até 
 
Impressões:  até 
 
Publicada entre:
 até 
 
 
 

Comentário:


 

Av. do Café, 130, salas 33 e 34
São Paulo - SP - CEP: 04311-000
Tel.: (11) 3473.1207 / (11) 3562.0436
Acompanhe o portal nas redes sociais.