Biblioteca

Caracterização da contaminação por chorume nos recursos hídricos superficiais no entorno do aterro de resíduos sólidos de Manaus/AM

Publicado em 17/04/2017 às 11:50:53

Resumo

O Aterro de Resíduos Sólidos de Manaus (ARSM) está situado próximo a importantes cursos d’água em uma zona de expansão urbana crescente e desordenada. Por essa razão, verificou-se a importância da realização de um programa de monitoramento ambiental para caracterização da contaminação por chorume nos recursos hídricos superficiais no entorno do ARSM. Os resultados correspondem ao monitoramento realizado no ano de 2015, o qual consistiu em campanhas de amostragem de água superficiais realizadas em intervalos trimestrais, a fim de melhor abranger um ciclo hidrológico. Diagnósticos ambientais caracterizaram a hidroquímica da Bacia Matrinxã-Acará, a mais afetada pela contaminação por chorume, e da Bacia Aracu, com alteração hidroquímica também relacionada a outros fatores antrópicos. A intensificação ou redução das concentrações da carga geral de contaminantes nas águas superficiais mostrou forte correlação com a sazonalidade, haja vista as variações de volume e vazão dos igarapés objetos desse estudo. A recuperação da qualidade desses recursos hídricos é imprescindível, tendo em vista se tratar de uma área com flora e fauna que são patrimônio, não só dos moradores que ocupam suas margens, como da população de Manaus que usufrui no passado de áreas de banho e pesca nos igarapés atualmente afetados pelo chorume produzido no aterro.

Introdução

O conhecimento detalhado sobre os danos que podem ser provocados nos recursos hídricos nas imediações de áreas de deposição de resíduos sólidos urbanos (lixões ou aterros) é fundamental para o planejamento de ações preventivas e corretivas. Tendo em vista o crescimento da área urbana em direção à área do Aterro de Resíduos Sólidos de Manaus (ARSM) e a importância das águas superficiais (Brasil 2002), sobretudo em comunidades e bairros presentes nas imediações e que não usufruem de abastecimento público (Barroncas 1999), a CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais – Serviço Geológico do Brasil) realiza desde 2006 o monitoramento da contaminação dos recursos hídricos no entorno do ARSM.

A decomposição/degradação dos resíduos orgânicos presentes nos lixões e aterros sanitários produz o chorume, que contém elevados teores de compostos orgânicos e inorgânicos nas formas dissolvida e coloidal. A composição físico-química do chorume é complexa e muito variável, dependendo de vários fatores como: tipo de resíduos depositado, tempo de disposição do resíduo, forma de operação do aterro, pluviosidade, condições geológicas locais, entre outros. Além disso, os recursos hídricos podem apresentar contaminação relacionada às ocupações antrópicas desprovidas de sistema de esgotamento sanitário, fato que contribui sobremaneira para degradação desse recurso (Barroncas 1999).

Com base no exposto, o presente estudo caracteriza a contaminação nos recursos hídricos superficiais no entorno do ARSM, através da avaliação da intensidade e extensão da pluma de contaminação. O monitoramento ambiental foi realizado em quatro etapas de monitoramento (E1, E2, E3 e E4) em intervalos trimestrais nos meses de março, junho, setembro e dezembro, correspondendo a um ciclo hidrológico. O entendimento da evolução da contaminação e de sua projeção em termos espaciais nos recursos hídricos locais poderá guiar não somente a gestão do ARSM, como também melhorar o planejamento do uso e ocupação urbana nos terrenos adjacentes ao aterro.

Autores: Luciana de Jesus Penha Pamplona Miyagawa; Túlio Amós de Araújo Mendes e José Luiz Marmos.

chorume


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *