Biblioteca

Índice de qualidade da água na microbacia do rio Caiçá, no perímetro urbano de Simão Dias/SE

Publicado em 07/08/2017 às 17:01:36

Resumo

Ao longo da história, as cidades que mais prosperaram economicamente e desenvolveram civilizações foram as que possuíam considerável disponibilidade de recursos hídricos e eram cercadas por importantes rios. No entanto, os dias atuais revelam que muitas vezes isto se transformou numa fonte inesgotável de problemas ambientais. Nessa perspectiva, a cidade de Simão Dias é um exemplo dessa realidade.

O perímetro urbano simãodiense, inserido na microbacia do rio Caiçá, é responsável pelo lançamento de efluentes domésticos e pressões antrópicas no curso fluvial. Com base nisto, o presente estudo teve como objetivo avaliar a qualidade hídrica no trecho urbano da referida microbacia. A metodologia utilizada na pesquisa se baseou no Standard Methods for the Examination of Water and Wastewarter (APHA, 2005) e no Índice de Qualidade da Água (IQA), no qual a somatória de nove parâmetros resultam na classificação dos aspectos qualitativos do recurso. Os resultados apontaram que as pressões antrópicas (urbanização, presença do matadouro público, que corresponde ao local de abate de animais, degradação da vegetação ciliar, uso inadequado do solo e despejo de afluentes domésticos, exercem influência negativa sobre o rio Caiçá, comprometendo a qualidade do corpo hídrico, representado pelo IQA, que classificou o recurso como ruim, evidenciando, portanto, a necessidade de ações efetivas no tocante à gestão hídrica em âmbito local.

Introdução

A bacia hidrográfica é considerada uma unidade territorial e de planejamento que reflete a ação de componentes naturais e de ações humanas, por isso é primordial a necessidade de estudá-la de forma integrada, considerando todos os elementos que nela influenciam, e de tal forma, compreender as interferências que acontecem no meio (Carvalho, 2014).

A qualidade do recurso hídrico varia de acordo com o ambiente de gênese, o percurso, geologia e a interferência humana. A cada dia o homem passa a exercer influência nessa qualidade, na medida em que interfere e utiliza o recurso. A ocupação desordenada nas margens dos rios, degradação da cobertura vegetal, pressões antrópicas e diversos impactos ambientais de inúmeras naturezas passaram a ser fatores em evidência e que colocaram em xeque a conservação dos recursos naturais (Tundisi e Matsumura-Tundisi, 2011; Umetsu, 2012).

A presença de rios junto às zonas urbanas sempre se constituiu num desafio o, principalmente na medida em que estas apresentam um elevado grau de desenvolvimento. Nos dias atuais, não diferente disto, as pequenas cidades já demonstram os mesmos problemas, como no caso do município de Simão Dias/SE, com a microbacia do rio Caiçá. No trecho urbano, o curso fluvial convive com o despejo de esgotos domésticos, pois a ausência de um sistema de tratamento faz com que estes atinjam a hidrografia a local. Soma-se a isto a presença do abatedouro público municipal em meio ao primeiro conjunto habitacional, com uma localização e estrutura inadequada, o que causa ainda mais impactos sobre o rio. Dessa forma, o presente estudo buscou avaliar a qualidade hídrica no trecho urbano da microbacia.

A relevância do desenvolvimento e atuação desta pesquisa está diretamente atrelada à sua atuação prática, pois a interferência humana sobre o meio natural, de modo desordenado, compromete a qualidade dos recursos naturais, neste caso, do rio Caiçá, um dos principais rios simãodienses.

Autores: Andreia Reis Fontes, Ariovaldo Antonio Tadeu Lucas e Márcia Eliane Silva Carvalho.

qualidade-da-agua


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *