Biblioteca

Análise da viabilidade econômica de um sistema de captação de água da chuva: estudo de caso de uma indústria de refrigerantes

Publicado em 04/09/2017 às 07:11:57

Resumo

O termo “planeta azul” está relacionado ao fato de a Terra ser composta de ¾ de água, dos quais 97% é composta de água salgada e apenas 3% de água doce. Desses 3%, apenas 1% é de água potável, própria para o consumo. Assim como outros recursos naturais, a água potável tem se tornado cada vez mais escassa e ameaçada por vários fatores entre: poluição, crescimento populacional desordenado, mudanças climáticas, entre outros fatores. Diante desse cenário, torna-se fundamental o desenvolvimento de uma política de conscientização para evitar o desperdício de água doce no planeta. Assim, soluções inovadoras e sustentáveis dos setores público e privado surgem com o intuito de combater essa escassez. O presente trabalho aponta uma dessas soluções, por meio da captação da água de chuvas, em uma indústria de refrigerantes na cidade do Rio de Janeiro. O trabalho apresenta o cálculo do VPL e do payback do investimento necessário para a implementação do projeto sustentável em tela. Embora tais medidas de eficácia possam contribuir com o processo de tomada de decisão, o gestor deverá levar em consideração o contexto gerencial no qual está inserido.

Introdução

A água é um elemento fundamental para sobrevivência de todas as espécies do planeta. As cidades cresceram e se desenvolveram próximas aos rios, lagos e ou grandes cursos d’águas. Durante anos seus recursos eram considerados como fontes inesgotáveis, pois a água é considerada como recurso de fontes renováveis, onde se encontram disponíveis em quantidades constantes, ou seja, não diminuem e nem aumentam. Porém, a Organização das Nações Unidas (ONU) relata que nosso planeta é composto por 2/3 de água, dando uma falsa alusão pelo consumo exagerado entre as nações, entretanto apenas 3% do total dessa água é composta por água doce, sendo própria para consumo. Sem essas evidências, no passado, sociedades consumiam a água como se ela fosse um bem infinito sem se preocuparem com gerações futuras. A partir da Revolução Industrial e do crescimento da sociedade de consumo, a demanda pela água vem aumentando exponencialmente, levando ao esgotamento das fontes de água doce em inúmeras partes do Globo.

Autores: Marcos Santos; Clayton Luis Soares Carvalho; Jonathan Cosme Ramos; Fabrício Costa Dias e Marcone Freitas Reis.

agua-da-chuva