Notícias

Planta de dessalinização em Agadir funcionará inteiramente com energia verde

Publicado em 13/09/2017 às 12:09:22

96,5% das áreas rurais teriam acesso à água potável até o final de 2017, graças à conclusão de projetos de abastecimento de água potável.

dessalinizacao

Maior do mundo. Representação de um artista da planta de dessalinização de Agadir. (Abeinsa)

 

Será construída no Marrocos, a maior planta de dessalinização do mundo que funcionará inteiramente com energia solar em uma tentativa de compensar as necessidades de água, na região semiárida, localizada no sul do país.

Autoridades do Marrocos e da Abengoa, empresa de energia espanhola, assinaram o contrato para a construção de uma planta de dessalinização e desenvolvimento do projeto de irrigação na região de Agadir. O contrato, que se agrega a um assinado em 2014, descreve a construção da usina com uma capacidade de produção de 100.000 metros cúbicos de água por dia.

A planta de dessalinização de US$ 364,6 milhões deverá produzir 450 mil metros cúbicos de água por dia. No entanto, inicialmente começará com uma produção de cerca de 275 mil metros cúbicos por dia, dos quais 150 000 metros cúbicos serão destinados ao consumo e 125 000 metros cúbicos serão utilizados para irrigar 13,6 mil hectares de campos agrícolas na região de Chtouka.

O ministro marroquino da Agricultura e Pesca, Aziz Akhannouch disse que o projeto “é uma alavanca para um crescimento socioeconômico sustentável em toda a região”.

Região de Chtouka

A região de Chtouka emprega cerca de 100 mil pessoas no setor agrícola, o que gera US$ 1 bilhão. No entanto, seus recursos hídricos estão sob ameaça, o que levou a ação do governo marroquino.

Espera-se que a planta cubra as necessidades de mais de 70 mil habitantes, fornecendo cerca de 3,8 metros cúbicos de água diária por pessoa.

A Abengoa será responsável pela construção, desenvolvimento e manutenção da sua infraestrutura durante 27 anos.

A planta de dessalinização de água do mar, será a maior do mundo movido a energia solar. Líderes marroquinos disseram que a estação de energia solar de Noor Ouarzazate seria totalmente responsável pelo fornecimento.

A dessalinização da água do mar é uma das estratégias de Marrocos para enfrentar os efeitos das mudanças climáticas e combater a escassez crônica de água. A planta de dessalinização é um passo importante para o país em direção ao desenvolvimento sustentável, preservando seus recursos subterrâneos e promovendo energia limpa.

Ciclos de seca nos últimos dez anos em Marrocos vem causando preocupação. A população do país deverá chegar a 38 milhões em 2030, o que significa um aumento no consumo de alimentos e água.

Perda de empregos agrícolas

As ondas de calor do verão no ano passado, resultaram na perda de 15 mil empregos agrícolas no segundo trimestre de 2016, disse a Alta Comissão para o Planejamento.

Os cientistas preveem que, na próxima década, a escassez de água em Marrocos, que tem um clima semiárido, afetará negativamente o setor agrícola, que representa quase 15% do PIB marroquino e emprega 40% da força de trabalho no país.

Charafate Afailal, secretário de Estado para a Água, disse a L’Economiste que a única maneira de reduzir o déficit de água na indústria e agricultura, é dessalinizando a água do mar em áreas com alta demanda de água e recursos locais insuficientes.

“A dessalinização é chamada para desempenhar um papel importante no futuro, com o declínio gradual nos custos”, disse Afailal, acrescentando que os usos de recursos não convencionais eram imperativos.

Projeto de dessalinização de água do mar

Um projeto de dessalinização de água do mar, está sendo lançado para abastecer a cidade de Al Hoceima, no norte do país, que sofreu problemas com escassez de água.

Afailal disse, que uma grande estação para a região de Casablanca-Settat, estava sendo estudada para ajudar a garantir o acesso à água potável para a Grande Casablanca.

Marrocos tem investido mais de US$ 100 milhões anualmente visando fornecer água potável para áreas rurais em todo o país.

Afailal afirmou ao parlamento, que 96,5% das áreas rurais teriam acesso a água potável até o final de 2017, graças à conclusão dos projetos de abastecimento de água potável, como barragens e instalação de canais regionais de drenagem.

O primeiro-ministro marroquino Saad Eddine El Othmani disse que outros projetos de dessalinização de água do mar foram planejados em várias cidades costeiras. No entanto, ele reconhece que algumas regiões sofrem de disparidades no abastecimento de água potável, especialmente no verão, apesar de todos os esforços para resolver o problema.

 

Fonte: Arab Weekly, adaptado por Portal Tratamento de Água – www.tratamentodeagua.com.br

Traduzido por Gheorge Patrick Iwaki