Notícias

Inovação Francesa elimina problemas em Estações de bombeamento

Uma inovação francesa que ajuda as operadoras de saneamento a eliminar os problemas associados com estações de bombeamento de esgoto

As estações de bombeamento de esgoto é o elo chave na cadeia de coleta e tratamento de águas residuais.

Estações de bombeamento tradicionais utilizam bombas submersível em um poço úmido, que são ativadas por sensores e ou boias quando a água atinge um nível predefinido. As bombas então ligam em velocidade máxima para esvaziar o poço úmido.

Um problema primário com bombas submersíveis em poços úmidos é a obstrução por toalhas de tecidos ou sintéticas de uso geral e outros materiais descartáveis.

Os sensores de níveis estão sujeitos a incrustação de gorduras, óleos e graxa e pode exigir limpeza frequente para mantê-los operáveis. Além disso, os poços úmidos
ocasionalmente precisam ser limpos, tipicamente com um caminhão a vácuo. Existe também o problema com gás sulfídrico que pode corroer componentes elétricos, qualquer material feito de aço ou ferro, e até concreto.

Essas questões de obstrução de bomba são realidades em muitos países hoje e já podem ser resolvidos pela inovação do francês Stephane Dumonceaux. A companhia dele, S.I.D.E Industrie, patenteou e instalalou o primeiro sistema DIP em 2003 e, desde então, mais de 1.500 destes sistemas foram utilizado em locais
em toda a França – por exemplo na Disneyland Paris – bem como nos EUA, Canadá, Camboja, Portugal, Costa do Marfim e as Ilhas do Caribe.

O desenvolvimento da empresa tem como base conhecimentos práticos no campo capaz de desenvolver uma gama de produtos com 56 modelos com rages de vazões 1 l/s a 120 l/s e altura manométrica de 1 a 90 m resultado de 30 anos de pesquisa e experiência de mais 1500 unidades em todo o mundo.

Desenvolvendo o DIP

inovacao-francesaEm 2002, o sistema DIP foi patenteado e encontrou sua primeira aplicação para uma derivação em uma estação de bombeamento existente que precisava ser
renovada e recuperada.

Vários “grandes nomes” na frança, regionais e agências de água, tais como  Veolia, Suez e Saur, desde então adotou o sistema para “by passar” as estações de bombeamento de vários tamanhos nas principais obras durante várias semanas, e mais tarde vários meses entre 2002 e 2005.

O sistema DIP funciona sem o operador ter que configurar algo como em uma estação provisória.

Os Moradores que viviam perto do local das obras do sistema de derivação provisório onde o DIP Systeme foi utilizado verificaram ausência de ruído e odores, tanto que em alguns casos lamentaram o
fim dos trabalhos e a remoção do DIP, com isto os incômodos retornaram quando a nova unidade de bomba submersível foi iniciada.

Com o sistema DIP, as águas residuais permanecem dentro da tubulação e da bomba, criando um ambiente limpo e seco.

Como as bombas do sistema DIP são diretamente conectado à entrada da estação de bombeamento, não é necessário um poço úmido as bombas operam continuamente e são controladas por um drive de freqüência variável, o que garante que elas funcionem na velocidade necessária para lidar com o fluxo.

Ao bombear o efluente gravitacional diretamente, o sistema DIP elimina todos os  principais problemas dos volumes retidos de efluentes, como gases perigosos, acúmulo de odores, areia e graxa, corrosão do equipamento, entupimento por flutuadores, além de oferecer segurança de acesso.

Aplicações em todo o mundo

O sistema DIP é uma solução adequada para comunidades que querem se modernizar ou ampliar a coleta de águas residuais em redes, pois possibilita a concepção de bombeamento durável e econômica.

bombeamento

Estações sem poço úmido é possível eliminar operações de limpeza como em unidades tradicionais e os riscos para técnicos de manutenção, além de eliminar ao mesmo tempo, as queixas de moradores que vivem perto de uma instalação que produz odores desagradáveis.

O sistema DIP possui muitas aplicações e é particularmente adequado para saneamento e obras públicas, mas também para o bombeamento de água drenagem, efluentes industriais, águas residuais e água do mar, pois é concebido em aço  inoxidável. Por exemplo, no início de 2015, o distribuidor de S.I.D.E Robert Brown
Associates Pumps ganhou um contrato para fornecer um sistema DIP11-4VVIX-1.5kW para a Merck Pharma para bombear suas águas residuais industriais com um pH elevado a alta temperatura.

Na verdade, a Merck Pharma estava olhando para uma solução capaz de lidar com águas residuais de sua indústria com injeção produtos químicos de washdown, e
solicitou um sistema que não fosse um bombeamento submersível.

Alto pH

O sistema tinha que ser pequeno o suficiente para encaixar em uma área limitada, totalmente feito de aço inoxidável 316 para lidar com alto pH devido a produtos químicos e a alta temperatura de 82 ° C, e equipado com um rotor para “materiais anti-fibrosos”. O DIP11 / 4VVXI, fabricado a partir de aço inoxidável aço 316 e com o rotor DIPCut foi a solução adequada.

A bomba DIP também é auto limpante e usa um design com rotor especial. Quando o torque aumenta, a bomba percebe que está havendo um  entupimento então automaticamente desacelera, para inverte a direção do rotor quando isso acontece, facas no impulsor corta e fatia os máteriais. Quando a bomba percebe que está rodando livre novamente, ela diminui mais uma vez, para e volta para a direção de bombeamento normal. Tudo isso acontece sem a intervenção do operador.

Um olho em si mesmo

As bombas auto-limpantes estão conectadas e podem ser monitoradas e gerenciadas com um smartphone, um tablet ou em um computador de qualquer
lugar no mundo com a ajuda do assistente da web OmniDIP.

monitoramento

OmniDIP é um sistema de auto controle projetado para ser usado ao lado do sistema DIP. Ele verifica automaticamente e continuamente todos os processos através de 230 parâmetros por bomba para garantir operação ideal e evitar qualquer intervenção desnecessária. A análise é tão precisa que permite previsões otimizando em vez de apenas informar quando há um falha técnica. O fabricante pode também verificar e atualizar o sistema via OmniDIP, bem como lidar automaticamente com alertas preventivos enviados pelo sistema DIP.

Verificações automáticas do processo

Algumas verificações automáticas do processo do Sistema DIP, como limpeza automática ou inspeção do o set-point de nível pode ser realizado através de OmniDIP. Isso permite que os operadores conheçam o estado do sensor e do motor e teste a reversão automática. Se algo fora de comum é detectado, um relatório resumo é enviado ao operador indicando a necessidade de uma intervenção física. O recurso atendimento ao Cliente permite exibição e a condição atual do DIP System, além de editar relatórios de resumo entregue durante um período de tempo escolhido.

Isso permite que os operadores verifiquem diretamente o consumo médio, volumes de bombeamento, tempo de operação e medidas de otimização tomadas pelo
sistema de auto-monitoramento.

Para mais informações
www.improvequipamentos.com.br