Notícias

Oxidação supercrítica para tratar lodos de ETE e outros resíduos

Publicado em 19/05/2017 às 08:30:50
Categoria(s): Resíduos, Tecnologia,
Tags: Ete, lodo, oxidação, supercrítica,

A oxidação supercrítica é uma tecnologia avançada que recentemente começou a despertar interesse como alternativa atraente para o tratamento de alguns resíduos

 

oxidacao-supercritica-0517

 

O objetivo geral do projeto LIFE Lo2x é demonstrar a viabilidade técnica, econômica, energética e ambiental da co-oxidação em água supercrítica para o tratamento, não só de lodos de ETE, mas também, de resíduos agroalimentares, lixiviados de aterros e pesticidas em estações de tratamento com uma eficácia de aproximadamente 100%.

A oxidação supercrítica é uma tecnologia avançada que recentemente começou a despertar interesse como alternativa atraente para o tratamento de alguns resíduos. A tecnologia é baseada nas propriedades particulares da água em condições de temperatura e pressão acima do seu ponto crítico, isto é, acima de 374ºC de temperatura e 218 bar de pressão.

Nessas condições, esse fluído supercrítico apresenta propriedades de alta difusividade, baixas densidade e viscosidade, que o tornam um solvente eficaz para os compostos orgânicos, além de ser completamente miscível com uma grande quantidade de gases, incluindo o oxigênio.

Todas essas características despertaram o interesse pela pesquisa e desenvolvimento de aplicações para o tratamento de resíduos em fase aquosa mediante a oxidação em água supercrítica. Particularmente, para aqueles resíduos com elevada carga de matéria orgânica entre os quais se encontram os lodos de ETE.

 

 

Instalação experimental

O primeiro objetivo específico dentre aqueles estabelecidos pelo projeto LIFE Lo2x, foi o projeto e construção de uma instalação de demonstração com capacidade para tratar até uma tonelada de matéria seca por dia. Essa instalação está em funcionamento em fase experimental na ETE de Paterna em Valência, Espanha.

Na fase atual do projeto se está trabalhando para determinar as condições de operação que são necessárias para atingir a máxima efetividade na oxidação dos lodos, mas também na sua otimização quanto a eficiência energética e impacto ambiental, além da recuperação de outros recursos disponíveis com o processo COASC (co-oxidação em água supercrítica) como o fósforo e o nitrogênio.

Os resultados experimentais preliminares obtidos mostram rendimentos superiores a 90% em eliminação de sólidos e de até 99,9% de oxidação da matéria orgânica.

Para maiores informações sobre o projeto LIFE Lo2x acesse www.lo2x.com.

Foto: EPSAR

Fonte: Aguas Residuales, adaptado por Portal Tratamento de Água – www.tratamentodeagua.com.br